MOMENTOS PEDAGOGICOS E AS SITUAÇÕES DIDÁTICAS


    A didática da matemática é considerada por nós como uma das tendências de pesquisa que constituem a área de educação matemática. Uma de suas características é a interpretação de problemas do ensino e da aprendizagem da matemática, através de conceitos didáticos.

    Os valores educacionais da matemática são os argumentos básicos para justificar a importância dessa disciplina no currículo escolar. Esses valores aparecem sob a forma de objetivos, concepções, princípios, metas ou intenções.

    A didática da metemática defende uma estreita relação entre o nível experimental da prática pedagógica e o território acadêmico da pesquisa e, finalmente, devemos lembrar da importância didática do estudo das relações estabelecidas entre professor, aluno e o saber.

    A importância da questão metodológica se revela pela fundamentação que ela permite à sistematização dos procedimentos operacionais da pesquisa. O método orienta a busca de novos conhecimentos e viabiliza o processo de validação do saber.

    A aplicação do racionalismo aplicado significa a defesa de que todo ensaio experimental deva ser submetido ao controle de uma visão teórica, da mesma forma como toda teoria deve se realizar na dimensão prática.

    A engenharia didática é uma forma de organizar a pesquisa em didática da matemática, a partir da criação de uma sequencia de aulas planejadas com a finalidade de obter informações para desvelar o fenomeno investigado. A aplicação se inicia por uma fase de análises preliminares, valorizando experiências anteriores do pesquisador.

    Em particular, enfatizou-se relações entre seis conceitos: transposição didática, obstáculos didáticos, campos conceituais, situações didáticas, efeitos didáticos e contrato didático.

    A transposição didática permite uma visão panorâmica das transformações por que passa o saber matemático, desde sua genese academica, passando pelas idéias dos autores de livros, por especialistas em educação, responsáveis pela política educacional, pelas interpretações do professor, até chegar no espaço conflituoso da sala de aula e, daí, para o nível intelectual do aluno.

    Os obstáculos epistemológicos foram descritos por Bachelard, quando ele analisava as condições históricas de formação dos conceitos científicos. Trata-se da resistência oferecisda por conceitos considerados verdadeiros, em um determinado período, e que, na realidade, dificultam a formação de um novo saber.

    A teoria dos campos conceituais está em sintonia com o problema do significado do saber escolarm visando a realização dos valores educacionais da matemática.

    Por meio da noção de situações didáticas é possível descreve uma tipologia de atividades previstas para o ensino da matemática, cada qual voltada para o desenvolvimento de uma competência ou habilidade associada a essa disciplina. A criação de uma situação didática pode ser iniciada pela escolha de um problema colocado para despertar a motivação do aluno.

    O funcionamento das situações didáticas ocorre sob o controle de regras e de condições que constituem a noção de contrato didático.

    Os efeitos didáticos se caracterizam como certos momentos decisivos para o sucesso ou para a continuidade da aprendizagem.

    A proposta da didática da matemática é constituída pelas relações existentes entre os conceitos e teorias aqui analisados e por vários outros que se encontram descritos nas fontes originais.


Voltar à página principal